Sindijori e Amirt repudiam postura da ALMG

Presidente direcionou campanha publicitária sobre a pandemia apenas a veículos de imprensa da capital


O Sindicato dos Jornais e Revistas do Interior de Minas Gerais (Sindijori) e a Associação Mineira de Rádio e Televisão de Minas Gerais (Amirt) emitiram nota de repúdio contra a Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O motivo é a decisão do deputado Agostinho Patrus (PV) em “segregar nossa população e tentar minimizar a importância da vida dos mineiros” ao realizar campanha publicitária apenas voltada à população da região metropolitana de Belo Horizonte.

“Em meio a pandemia do Covid 19, que assola todo o Brasil e tem crescido principalmente no interior de Minas Gerais, o cidadão que não mora na Região Metropolitana de Belo Horizonte tem algo mais a se preocupar: a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) se importa com a vida dos mineiros no interior? Será que o parlamentar desconhece Minas Gerais e acredita que a pandemia está restrita à região metropolitana, que deve prestar contas apenas a capital?”, questiona a nota.

A ALMG é formada por representantes de toda Minas Gerais, sendo que mais de 70% dos deputados foram eleitos por votos vindos das centenas de cidades fora da região metropolitana.

“Da mesma forma que os impostos que sustentam o Legislativo Estadual (um dos mais caros do Brasil) são os mineiros do interior que bancam os altos salários e benesses ao Legislativo, mesmo em meio à pandemia, os salários na ALMG estão em dia! Será que os milhões de mineiros deixados de fora dos esclarecimentos da campanha legislativa do Covid 19 são inferiores aos demais? A resposta é um sonoro não”, continua a nota.

Para as entidades, a decisão do deputado estadual Agostinho Patrus de com o dinheiro público priorizar a informação apenas a região metropolitana é um desrespeito a maioria dos cidadãos mineiros e também a maioria dos deputados que representam o interior de Minas.