Pau…tando 31/08/2020


Na coluna Pau…tando, leia o que acontece de mais importante nos bastidores políticos de Poços de Caldas.

DOBRADINHA
Apesar dos rumores de que o ex-prefeito Luiz Antônio Batista (PTB) estaria se afastando da coordenação de campanha do grupo Preocupados com Poços, o fato é que com a dificuldade em escolher um vice para o pré-candidato Geraldo Thadeu (PRB), está sendo articulada justamente a escolha de Luiz Antônio para a condição de vice na chapa.

ARTICULAÇÃO
O problema até então é que o PTB já indicou os nomes de Ércules Tassinari e João Batista Cioffi como pré-candidatos do partido à sucessão municipal. Para viabilizar a chapa Geraldo Luiz Antônio, também será preciso contar com a maioria dos votos da comissão executiva do partido. Na tarde de sexta-feira, 28, uma reunião no Hotel Nacional já começou a tratar da possibilidade, que de-verá ser amadurecida nos próximos dias.

VICE
O vice-prefeito Flávio Faria (Rede) está articulando a escolha do pré-candidato a vice em sua chapa à su-cessão municipal. Existe a possibilidade de uma surpresa ser escolhida para dividir a chapa com ele.

PATRIOTAS
O pré-candidato Rovilson de Assis Pimentel (Canjiquinha) promete para os próximos dias novidades em relação ao Patriotas, resultado de uma fusão entre o PEN e o PRP, antigo partido dele. Canjiquinha defende a tese de que a atual comissão do partido foi nomeada de forma irregular, já que os integrantes não eram filiados do partido. A manutenção desta comissão inviabiliza a pré-candidatura dele.

REJEIÇÃO
Após sofrerem rejeição da sociedade, dois projetos apresentados por vereadores foram retirados de pauta por eles, pelo menos, por enquanto: o de Antônio Carlos Pereira (DEM), sobre a proibição de venda de bebidas alcóolicas no entorno da Urca e de parques municipais, o que poderia inviabilizar a realização de eventos na cidade, e o de Lucas Arruda (Rede), que previa punições a quem passasse trote no SAMU. O primeiro foi criticado especialmente pelo Poços Convention Bureau, que inclusive, agradeceu a retirada da proposta. O segundo foi muito criticado nas redes sociais pelo fato de já existir legislação federal prevendo punições para quem passa trote, apesar do vereador ter tentado argumentar que pretendia regulamentar a questão em âmbito municipal.