Poços está no limite de leitos e de insumos e não descarta lockdown

Município corre risco de lotação e de falta de remédios para entubações


O Comitê Extraordinário Covid-19 e o prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) realizaram ontem, 24, uma transmissão ao vivo (live) pelo Facebook e Youtube da Prefeitura, para informar à população sobre a atual situação da pandemia no município.

Poços de Caldas segue as determinações impostas pelo Estado, na chamada onda roxa”, mas como acontece em todo o país, a cidade vem enfrentando alta no número de casos da doença e tem recebido muitos pacientes de outras localidades.

O prefeito começou falando sobre a corresponsabilidade de todos neste momento no enfrentamento ao coro-navírus.

“Peço a colaboração pois, mesmo com as restrições, alguns insistem em desobedecer. Nossa fiscalização atuará com rigor, quem não tiver cumprindo as norma-tivas será punido, não é o que queremos, mas precisamos da participação de todos para que possamos atravessar esse momento delicado”, disse.

continua depois da publicidade



LEITOS DE UTI
Poços de Caldas conta hoje com 73 leitos de UTI que atendem aos moradores e pessoas das cidades da microrregião (Caldas, Santa Rita de Caldas, Albertina, Andradas, Ipúi-una e Ibitiúra de Minas). Mas com o agravamento da doença, pacientes de outras localidades estão sendo transferidos para o município. A taxa de ocupação ultrapassou os 90% nesta semana.

FALTA DE OXIGÊNIO E MEDICAÇÃO
O secretário de Saúde, Carlos Mosconi (PSDB), ressaltou que o sistema de saúde está no limite sobre o fornecimento de oxigênio e de medicações para entubar pacientes.

“Temos ainda um pequeno estoque e já fizemos solicitações aos governos federal e estadual. Estamos conversando até mesmo com a iniciativa privada para nos ajudar. De nada adianta termos os leitos sem medicamento ou oxigênio. Nós precisamos chamar atenção da nossa população para isso. Até hoje não precisamos enviar paciente de Poços de Caldas para nenhuma cidade. É uma situação grave o que está acontecendo”, reafirmou.

PERFIL DE PACIENTES
O médico infectologista Mário Krugner, que está na linha de frente do atendimento aos pacientes de Covid, ressaltou que a preocupação é gran-de com os jovens.

“Este cenário que foi mencionado é real, é verdadeiro, nós estamos implorando que as pessoas circulem o menos possível, porque se as pessoas não circulam, o vírus não circula. Nós temos percebido nessa última quinzena uma mudança no perfil de internação dos pacientes. Antes eram as pessoas mais idosas que estavam sendo acometidas, agora, são os mais jovens que estão sendo internados, e de maneira grave na UTI”, disse.

TRATAMENTO PRECOCE

O secretário de Saúde destacou que nenhuma conduta é imposta aos médicos sobre o tratamento contra a Covid.

“Eu quero dizer que a Secretaria de Saúde tem agido de uma forma bastante flexível, nós não impusemos absolutamente nada. Nós entendemos que o ato médico é soberano e que cada um tem liberdade para poder agir de acordo com a sua sabedoria e experiência, principalmente com o seu bom senso”, disse.

O presidente da Associação Médica, Maurício Gomes,disse que não há tratamento específico para o coronavírus. “Os tratamentos que vemos hoje são para pacientes que estão se recuperando da doença e são realizados com medicamentos usados na fase hospitalar. Existem medicamentos que podem aumentar sua resistência, mas não vão evitar que você contraia a doença”, salientou.

LOCKDOWN
Sobre a possibilidade de um lockdown, o prefeito disse que a medida, que é ainda mais restritiva, não é descartada ca-so a situação na saúde se agrave.

“Caso precise nós iremos fazer. Algumas cidades próximas já estão fazendo. Para que isso não aconteça depende de cada um de nós”, concluiu.