Comitê apresenta protocolo, mas aulas ainda não serão retomadas

Plano de ação deu orientação sobre volta às aulas de forma gradual e híbrida


Foi realizada, de forma remota, na segunda-feira, 8, mais uma reunião do Comitê Municipal Extraordinário para Volta às Aulas em Poços de Caldas.

O encontro teve a participação da promotora Daniela Vieira de Almeida Trevisan, do vice-prefeito Júlio César de Freitas (DEM), e dos secretários municipais de Saúde, Carlos Mosconi (PSDB), e de Educação, Maria Helena Braga, representantes de escolas particulares, além dos demais membros do comitê.

O objetivo foi apresentar e acompanhar as medidas necessárias para a retomada das aulas presenciais em Poços de Caldas.

continua depois da publicidade


Nesta reunião, foi apresentado o documento “Orientações para a elaboração do Plano de ação para retorno às aulas presenciais com biossegurança”, da Secretaria Municipal de Educação, que visa à implementação do “Protocolo volta às aulas com segurança – Poços de Caldas/MG”, independente da definição de data para o regresso.

Este documento orienta as unidades educacionais da rede municipal de ensino quanto ao planejamento do retorno gradual das atividades presenciais, no modelo híbrido. A secretária informou que uma equipe formada por representantes das secretarias de Educação, Saúde e Projetos e Obras Públicas está percorrendo as unidades educacionais municipais para verificar as condições estruturais dos prédios e as adequações necessárias para o retorno às aulas presenciais.

A ação visa verificar, in loco, a aplicação dos protocolos sanitários para que todas as unidades es-tejam preparadas quando as condições epidemiológicas forem favoráveis.

A professora disse, ainda, que a reunião foi muito produtiva e, de acordo com o secretário municipal de Saúde, as condições epidemiológicas atuais não permitem o retorno das aulas presenciais no município neste momento.

“Eu considerei a reunião muito produtiva. Lamento o não retorno das aulas. Espero que esse triste quadro possa ser revertido o mais rápido possível”, avaliou o secretário Carlos Mosconi.