Coluna MG 07/01/2022

A Coluna MG traz as principais notícias veiculadas em jornais do interior de Minas filiados ao Sindicato dos Proprietários de Jornais de Minas Gerais (Sindijori).

Preço do gás tem queda em JF
Uma leve queda no preço do gás de cozinha foi verificada na última pesquisa da Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/JF), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), realizada pelo Departamento de Estudos Pesquisas e Projetos (DEPP). A pesquisa de amostragem foi feita entre os dias 3 e 4 de janeiro em 34 depósitos de diferentes regiões da cidade e teve como objetivo levantar as variações do preço do botijão de gás de cozinha. Segundo o Procon, o menor preço de venda, com retirada no local para o botijão de 13 kg, foi de R$ 87. Já o maior preço de venda, com retirada no local, para o botijão de 13 kg, foi de R$ 110. (Tribuna de Minas – Juiz de Fora)

Agência celebra 10 anos de fundação
No dia 04 de janeiro de 2012, a gestão metropolitana do Vale do Aço deu um grande passo com a publicação da Lei Complementar que criava a Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço. Neste ano, o Vale do Aço celebra os 10 anos de criação da autarquia e as conquistas alcançadas com a gestão metropolitana. Para o diretor-geral  João Luiz Teixeira Andrade, a data é um marco não só para a região. Com atuação diversa, a Agência possui entre suas competências a articulação com os municípios da Região Metropolitana e Colar Metropolitano do Vale do Aço, assistência técnica aos municípios, elaboração de estudos técnicos, além de articulação com instituições públicas e privadas. (Jornal Classivale – Ipatinga)

ALMG apoia atingidos por chuvas
A campanha da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para apoiar as vítimas das chuvas no interior do Estado foi ampliada para municípios de mais uma região e conta agora com um novo parceiro para a entrega dos donativos: a Cruz Vermelha. Municípios do Norte de Minas que também estão em situação de calamidade pública foram incorporados à área atendida pela campanha “Atingidos pelas chuvas”, organizada por meio do programa Assembleia Solidária. A campanha foi criada pelo Parlamento Mineiro no dia 13 de dezembro para socorrer as vítimas das cidades inundadas nos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri, no Nordeste de Minas. (Folha de Sabará)

Movimento das academias cresce
O movimento nas academias de Uberlândia teve um aumento de aproximadamente 60% no primeiro dia útil de 2022 em relação ao ano passado. Segundo os empresários do setor, a expectativa é que a procura aumente ainda mais até o fim do mês de janeiro. A busca por uma vida mais saudável é o principal motivo pelo aumento de matrículas. O  presidente da Associação Comercial das Academias de Uberlândia e dono de uma academia na cidade, Douglas de Oliveira, informou que em comparação com o primeiro dia útil de 2020 as academias tiveram um aumento na procura de matrículas de aproximadamente 60% neste ano. (Diário de Uberlândia)

continua depois da publicidade

MP quer melhorias no curral
O Ministério Público de Minas Gerais, através da Curadoria de Meio Ambiente de Montes Claros, assinou Termo de Ajustamento de Conduta com a Prefeitura de Montes Claros, onde o município assume o compromisso de realizar melhorias curral municipal. Denúncias do vereador Fábio Neves indicava que animais que estavam no curral estavam sofrendo maus-tratos e sem alimentação. No dia 28, quando foi ao local, foi impedido de entrar. Ele acionou a Policia Militar, que diante da negativa do servidor municipal, deu voz de prisão ao responsável pelo Curral Municipal.  Algum tempo depois a Prefeitura comprou alimentos para o Curral Municipal. (Gazeta Norte Mineira – Montes Claros)

Nascente do São Francisco transborda
Com as chuvas registradas nos últimos dias na região, a nascente histórica do Rio São Francisco transbordou na manhã desta terça-feira, 4, no Parque Nacional da Serra da Canastra, em São Roque de Minas. Segundo Carlos Henrique Bernardes, chefe do Parque Nacional da Serra da Canastra, desde setembro as nascentes da região, inclusive a nascente histórica do Rio São Francisco, estão em níveis elevados. Para ele, é natural neste período de intensas chuvas que o nível da água suba repentinamente. “Tendo em vista as chuvas diárias e considerando que toda região é uma grande área de recarga, é natural que em uma época como essa, de grande pluviosidade, ocorram esses aumentos repentinos no volume de água”, disse. (Folha da Manhã – Passos)