Bastidores 04/12/21

O jornalista Rodrigo Costa comenta os principais fatos dos bastidores de Poços de Caldas, Minas Gerais e do Brasil.

CORAÇÃO
A noite de quinta-feira foi movimentada na casa do secretario municipal de Saúde e manda-chuva do PSDB, Carlos Mosconi. Ele reuniu a base do atual governo municipal numa tentativa de apaziguar os ânimos no que diz respeito à escolha dos candidatos do grupo para deputado federal e estadual. Pregou paz, união e tentou tocar o coração de cada um dos presentes. Sem muito sucesso. O vereador Marcelo Heitor não participou e foi representado por Wanderlei Monteiro. Geraldo Tadeu também não deu as caras.

PULMÕES
Quem mais falou durante o encontro foi o presidente do Democratas, Tiago Cavelagna, que a plenos pulmões disse que o partido defenderá até o fim a candidatura do vice-prefeito Tio Júlio a estadual. Falou também que pesquisas pouco importam e deu de ombros para o quociente eleitoral. Como engenheiro, aliás, deveria se lembrar que política é matemática. Sua arrogância e prepotência deixaram os demais presentes desconfortáveis. Ele também sugeriu levar Tereza Navarro para o grupo situacionista, o que foi visto como precipitado. Comentou também que gostaria de uma aproximação com o novo presidente do MDB de Poços de Caldas, Fábio Junio. Ideia também descartada, especialmente, pela aproximação do produtor cultural com o ex-prefeito de Caldas, Ulisses Borges.

continua depois da publicidade

FÍGADO
O pré-candidato a deputado federal pelo Novo, André Vilas Boas, reafirmou na reunião que mantém sua pré-candidatura, que já conta com apoios, e que na hipótese de tais apoios se confirmarem, ele de fato sairá candidato independentemente do apoio do grupo situacionista. Mosconi disse então que nesse caso ele seria o candidato do partido e não do grupo. Após a reunião, André e o vereador Flavio Togni de Lima e Silva foram afogar as mágoas num bar no alto da rua Assis Figueiredo. Flavinho, que pouco falou na reunião mas que está com sangue nos olhos, é o principal articulador na Câmara Municipal para que o Plano Diretor não seja votado esse ano como tanto deseja o prefeito e o secretário de Governo. Haja sal de frutas!

CÓRNEAS
O encontro, por fim, se encerrou sem grandes decisões. Ficou estipulado que uma pesquisa será realizada em breve com coordenação de Fabiano Costa Teixeira, figura política misteriosa do tucanato local. É evidente que a candidatura imposta que mais incomoda é do vice-prefeito Tio Júlio. Nos bastidores, as conversas são de que um vice sem secretaria, que apenas viaja e aparece nas fotos não tem cacife para ser candidato a deputado. Há certa razão em tais comentários. Só não enxerga quem não quer.

MÃE DINAH
Aproximadamente 30 dias atrás, nos corredores da Câmara Municipal, o secretário de Governo Celso Donato, disse a este jornalista e ao diretor do Jornal da Cidade, João Gabriel Pinheiro Chagas, que tinha a mais absoluta certeza de que o governador Eduardo Leite seria o grande vencedor das prévias do PSDB para a vaga de candidato à Presidente da República. Na oportunidade, disse também que João Dória estava buscando uma saída honrosa da disputa. Errou feio, errou rude. O governador paulista teve aproximadamente 10% de votos a mais do que seu adversário. Se Celso Donato tiver tanta certeza da sua vitória a deputado federal como tinha sobre as prévias do PSDB, poderemos respirar aliviados.

O PT SOU EU
O vereador Diney Lenon, semana retrasada em seu Instagram, perguntou a seus seguidores se deveria colocar seu nome à disposição do partido para a disputa de deputado federal. A justificativa chega a ser surpreendente: os eleitores do Lula em Poços de Caldas precisarão de alguém na cidade para votar no ano que vem. Enquanto Lula busca formar chapa com o tucano histórico Geraldo Alckmin, esse tipo de discurso do vereador, em que menospreza outros partidos de esquerda ou de centro esquerda na cidade, mostra a bolha em que algumas figuras políticas de Poços de Caldas vivem atualmente.

BALÃO DE ENSAIO
Em encontro realizado neste domingo, o PT municipal confirmou a pré-candidatura de Diney a Federal e da advogada Cacá D´Arcádia para estadual. Conversas de bastidores, no entanto, dão conta de que até abril de 2022, o vereador retiraria a candidatura para que Cacá faça uma “dobradinha” com o célebre Odair Cunha. Estes seriam os planos da legenda comandadas pelo ex-prefeito e presidente do diretório municipal Paulo Tadeu, pai de Cacá, que sonha em ver a filha candidata a prefeita em 2024. A esquerda também tem suas Capitanias Hereditárias.

* Jornalista. E-mail: [email protected]