Dia seguinte de muito trabalho para limpar sujeira da chuva

Muitas lojas da área central não abriram para o público

Um volume de chuva poucas vezes visto na história da cidade trouxe inúmeros prejuízos aos comerciantes da área central. Não há desabrigados e nem feridos, mas os prejuízos materiais foram grandes.

O dia seguinte à tempestade começou com muito trabalho de limpeza, reparos e reconstrução. Lojas, hoteis e bancos foram atingidos em cheio pelo enorme volume de água que caiu na noite de terça-feira, 19. Parte da Assis Figueiredo e algumas ruas transversais estão interditadas ao trânsito de veículos. O local ficou um enorme calçadão, com muitas pessoas circulando para conferir os estragos da chuva. Há policiamento reforçado na área, uma vez que houve tentativas de saques de produtos após o temporal.

Várias lojas estão fechadas ao público, já que o dia é de muita limpeza. Além dos prejuízos materiais com a perda de produtos, os comerciantes se viram também às voltas com o prejuízo financeiro para repor estoques, realizar reparos emergenciais e ainda por cima ficar sem o fluxo diário de capital oriundo das vendas.

Boa parte das ruas centrais já foram limpas, mas o trabalho continua. São aproximadamente 250 profissionais da Prefeitura, DMAE e DME Distribuição, além de órgãos de segurança pública, voluntários e comerciantes. A situação está sendo normalizada aos poucos. Não há desabrigados e nem feridos, mas os prejuízos materiais foram grandes.