Chico Lopes é escolhido jurado pela segunda vez no Prêmio Jabuti

Em dois anos sucessivos, o escritor julgou romances brasileiros

Em 2014 e 2015, o escritor, ficcionista, poeta, artista plástico, tradutor, crítico literário e de cinema Francisco Carlos Lopes, o Chico Lopes, 63, foi convidado a jurado do Prêmio Jabuti, na categoria romance.

Paulista de Novo Horizonte, Chico por muitos anos residiu em nossa cidade, tendo atuado aqui, entre outras atividades, como crítico literário na Casa da Cultura do IMS (Instituto Moreira Salles). Os três jurados de cada categoria só são revelados depois da cerimônia de entrega dos prêmios. Na cerimônia de premiação e entrega das estatuetas, são revelados os Livros do Ano de Ficção e Não-Ficção, momento mais aguardado por quem concorre ao Prêmio, pelo mercado editorial e pela mídia especializada.

CATÁLOGO
Nesta semana, a Câmara Brasileira do Livro editou um catálogo trazendo os livros vencedores deste ano e do ano passado, em reproduções muito boas, a cores, edição de alta qualidade. Neste ano, os três jurados da categoria romance foram Chico Lopes, Letícia Malard e Vivian Hamermesz Schlesinger. Em dois anos sucessivos, Chico Lopes julgou romances brasileiros, aceitando os convites da curadora, Marisa Lajolo e a Câmara Brasileira do Livro.

O QUE É
Criado há mais de cinco décadas, em 1958, o Jabuti é o mais tradicional prêmio do livro no Brasil e o maior diferencial em relação a outros prêmios de literatura é a sua abrangência: Além de valorizar escritores, o prêmio destaca a qualidade do trabalho de todas as áreas envolvidas na criação e produção de um livro. Neste ano, o prêmio contempla 27 categorias. Trata-se de uma distinção, que dá ao seu ganhador, muito mais do que recompensa financeira, pois ganhar o Jabuti representa dar à obra vencedora, o lastro da comunidade intelectual brasileira, significa ser admitido em uma seleção de notáveis da literatura nacional.

Sem comentários

Deixe uma resposta